quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Passaram 3 anos (e passará uma vida inteira)...



Mas a promessa continua a mesma: fazer um castelo com as pedras que encontro no caminho. 

Por ti, Leonor, pela tua irmã, Joana... continuo a sorrir todos os dias e a construir o nosso castelo de mãe e filhas. <3

Ontem acordei decidida a não pensar muito que era o dia em que partiste, mas desde as 8 da manhã de ontem e até hoje que o Universo conspirou e as mensagens chegaram.
Diversas. De pessoas distantes. De quem ao nosso lado esteve. De quem nos quer bem.
Percebi que o caminho não é tentar evitar a dor que este dia me traz... é outro!
Por isso, 3 anos depois de decidires voltar a ser o anjo, que acredito que eras e és, renovo a promessa de não deixar que as pedras me vençam. Tropece ou não nelas. Com ou sem nódoas negras... o castelo será construído. 




segunda-feira, 14 de janeiro de 2013


Até já meu anjo...

Há pouco tempo enviaram-me o texto onde se lê no fim:"Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo."

A vida tem-me ensinado a fazer isso mesmo. Com as pedras que tenho tido no meu caminho aprendi a  fazer um castelo. Um castelo com um príncipe amoroso e fantástico e duas princesas maravilhosas e especiais.

Desde o primeiro momento em que começou a ganhar vida dentro de mim, a Leonor ensinou-me que nada se planeia. Vive-se um dia de cada vez e tudo muda num segundo. Não é que eu já não soubesse, mas a Leonor sempre se certificou que eu não esquecesse esta lição. Mesmo quando decidiu que chegou a sua hora, voltou a fazê-lo.

Florbela Espanca escreveu que “amar alguém o mesmo é que atirar pétalas ao vento”. Amar também é deixar ir e por isso é que com o coração quente por sentir a alma da minha pirralhinha que sinto que a minha princesa volta para onde veio e que nos vai iluminar hoje e sempre.

Agradeço-lhe e a quem lá mais alto tudo gere esta dádiva de 4 meses. Este amor que nunca acabará. 

Somos 3 fisicamente e seremos 4 para a eternidade.

Até já minha pirralhinha, meu anjo… A nossa eterna guerreira