domingo, 3 de maio de 2015

Hoje sou a mãe...

... que sou todos os dias.
Mas hoje que todos damos mais ênfase às mães... reflicto.
Sou a mãe de duas princesas.
Sou mãe de uma princesa que cresce a olhos vistos.
Sou mãe de uma princesa que partiu para me iluminar lá do alto.
Sou mãe dos mais filhos (imaginários) que gostava de ter e não posso.
Sou a mãe que sabe que pelo menos tem uma filha, enquanto muitas mulheres não conseguem realizar esse sonho.
Sou a mãe que já perdeu a sua mãe.
Sou a mãe que mais do que nunca, sente a ligação que existe entre um filho e uma mãe. Porque apesar de não ter sido próxima da minha... dois anos depois... sinto-lhe muitas vezes a falta.
Sou a mãe que olha para as mães babadas e se baba de as ver babadas.
Sou a mãe que incentiva outras mulheres a terem filhos (se os querem) falando das maravilhas, mas também das dificuldades.
Sou a mãe que se penaliza por todos os minutos não passados com os filhos, apesar de saber que e preciso ter uma vida e trabalhar.
Sou a mãe que quero que o tempo pare para aproveitar mais e mais a minha filha.
Sou a mãe que grita.
Sou a mãe que chora.
Sou a mãe que mima.
Sou a mãe que faz risadas de bruxa e caretas do outro mundo.
Sou a mãe que dizia que unhas pintadas só aos 8 e desde os 3, que ela pinta uma ou outra.
Sou a mãe que se zanga.
Sou a mãe que explica porque é que se zanga.
Sou a mãe que assume que exagera quando isso acontece.
Sou a mãe que tenta equilíbrio nesta fantástica e desafiadora tarefa que sempre quis... e que se tornou ainda mais desafiante. Mais do que a minha imaginação podia alcançar!
Sou a mãe que sonhei ser.
Sou, às vezes, ainda melhor mãe do que alguma vez me imaginei ser.
Sou a mãe que se supera como mulher e como mãe, porque, sou simplesmente mãe.
Sou a mãe que adora ser mãe.