sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Boa sexta-feira :)


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Sem palavras...

Falei nesta mãe minutos depois de tirar do meu colo a minha querida Leonor.
Acho que a dor e o choque eram tão grandes que queria encontrar uma dor maior que a minha, para pensar que há sempre alguém pior do que nós. E, infelizmente, foi tão fácil de encontrar: a mãe do Rui Pedro. Falei nela e disse que pelo menos eu sei onde está a minha Leonor.
A minha Ninocas partiu há um ano e 15 dias e o Rui Pedro continua desaparecido há 16 anos.
Há 16 anos que o coração desta mãe não tem sossego.
O meu está triste. O dela imagino-o em retalhos. Uma angústia constante. Uma esperança eterna. Um turbilhão de sentimentos bem piores que os meus.
Desejo que a vida desta mãe, tenha um revés e que a sua esperança se materialize.
Até lá, acordemos para a vida. Não olhemos só para o nosso umbigo no dia-a-dia. Demos graças ao que temos e pensemos que há sempre alguém pior do que nós. Infelizmente, não é assim tão impossível.
Ganhemos consciência do quão pequenos somos perante as rasteiras da vida, porque só assim, conseguiremos uma força de espírito que nos ajuda a levar a vida adiante. Acho sinceramente que é o caso desta admirável senhora.


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Aos 18 anos...

Ensinas-me a cozinhar e a fazer tudo, mãe?
Sim. Quando chegares aos 18 já vais saber cozinhar.
E quando tiver 100?
(riso contido) Aos 100 vais cozinhar ainda melhor.
E vou saber fazer tudo!
Não é de a encher de beijos?! :) (leia.se baba de mãe a escorrer)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Chega de tretas!!

Ao ler esta notícia, nem queria acreditar.

http://revistapaisefilhos.uol.com.br/nosso-bebe/qual-futuro-da-humanidade-nascida-por-cesariana

Tive duas cesarianas pois não tenho corpo para ter parto natural. Acho que haver gente que para defender o que quer usa tudo quanto é argumento é o que muda sim a humanidade.
Eu nasci de parto normal e tive uma mãe que não me deu muito amor.
 De uma vez por todas, é preciso que as mulheres antes de serem mães sejam mulheres bem resolvidas consigo próprias, para que depois não venham os medos, as ânsias e/ou os exageros com o parto, a amamentação, a escola, etc. É preciso que nos libertemos das educações com teses e conceitos punidores.
A mulher não é um animal feito só para procriar.
A mulher existe cada vez em toda a sua plenitude e nos seus ângulos.
Não ser mãe não nos faz menos mulheres.
O modo como trazemos os nossos filhos ao mundo não nos faz pior ou melhor pessoas, nem a eles.
De uma vez por todas, voltemos ao básico, àquilo a que todas as religiões, de uma forma ou outra deram um nome, mas que no fundo é tudo a mesma coisa: AMOR.
Preocupem-se mais em amar sem pedir em troca e aí sim, a humanidade ficará muito melhor.

Está na hora de MUDAR!

Há muito que defendo isto. Eduardo Beauté e o marido são a prova real (e há mais um ou outro caso nada mediático), neste país pequeno em tanta coisa, de que a adopção e o modo como se cuida de uma criança nada tem a ver com a sexualidade que se tem.
Chega de paradoxos e pré-conceitos da treta. Mais do que nunca e cada vez mais o que é importante é DAR LUGAR AO AMOR.


terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Querida Leonor...

Faz hoje um ano que partiste.
Hoje não foi um dia nada fácil para todos nós, mas juntámos a família que pode. A que não pode esteve de coração connosco. Jantámos, falamos, rimos. Celebrámos a família. Celebrámos a vida. Celebrámos-TE sem te referir, por que não era preciso. Estiveste e estarás sempre nos nossos corações e no nosso dia-a-dia. Deixaste uma marca em todos nós. Em cada um à tua maneira. Chegaste a muita gente. A mais do que alguma vez podia imaginar.
Tenho saudades de te abraçar, de te sentir, de te cheirar. Mas sei que estás aí. De olho em mim. De olho em todos nós.
Chegará o dia em que te reencontrarei, pois nada nos pode separar. Seremos mãe e filha para a eternidade.
Amo-te com todas as minhas forças, minha querida Ninocas.

domingo, 12 de janeiro de 2014

Há um ano...

... por esta hora lutavas com todas tuas forças, dando-me a maior lição de vida que tive até hoje.
Esperaste que saísse junto de ti para começares o teu processo de partida. Quisemos tanto que ficasses... mas tinhas de ir.
Um ano depois estou aqui... entre a saudade, o reviver da angustia, da esperança, da luta... sempre com o amor eterno que sinto por ti.
A tua imã só adormece quando lhe canto esta música em português e em inglês. Gosta dela desde bebé.
Também ta cantei várias vezes, sem saber que em tão pouco tempo te tornarias na minha estrela....
My little star... I wonder where you are... My diamond in the sky!


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A vida é isto mesmo!

Na segunda não conseguia sair do lado esquerdo do ecrã, mas já voltei ao do direito. Aquele onde gosto de ter lugar cativo.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

A tentar...

... let it go...
Hoje foi um dia mau.
Hoje desabei.
Amanhã será outro dia...
... e um dia aprenderei melhor o let it go