quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Coisas de avô e neta...

Enquanto brincava com o iPod perguntou ao avô:
- Vovoto, deixas-me uma coisa tua comigo?? (referindo-se ao iPod)
- Que queres que eu deixe?
- O que tu quiseres, uma coisa tua! disse sorrindo matreiramente.
- Vou-te deixar um beijinho então!!!
- Não Vovoto. Os beijinhos estragam-se na almofada!!!

Filosofia de vida


terça-feira, 29 de outubro de 2013

A verdade é...

... que os bebés já nascem com as suas características próprias e personalidade enquanto seres. Não são providos do nada e moldados como queremos. São seres. Seres muito especiais. Cada um à sua maneira. É preciso largar as convenções e saber senti-los. Vejam o video. Este derreteu-me o coração e iluminou-me a alma.

domingo, 27 de outubro de 2013

Ser mãe...

É ser atenta, doce mas ao mesmo tempo disciplinada. É gritar de vez em quando. É soprar o ar ainda mais vezes e pedir paciência (aquela que, às vezes, nunca chega)...
É brincar, mas também saber ralhar.
É amar de braços abertos, mas também saber ficar séria e "castigar" na hora certa.
Ser mãe é ter as asas sempre abertas, mas também saber usá-las para empurrar os filhos para a frente, para se tornarem auto-suficientes e independentes.
Quantas e quantas vezes não nos questionamos se estamos a fazer tudo bem?
Quantas e quantas vezes a "sabedoria alheia" nos questiona?
Quantas e quantas vezes pensamos se somos boas mães!
Desde que sejamos mães com o coração até nos momentos em que nos zangamos, estamos sempre a ser boas mães. Mostrar o nosso amor aos nossos filhos seja entre risos ou numa chamada de atenção, é o mais importante. Porque é isso que eles esperam de nós. Que os preparemos para o mundo dos adultos. É por isso que nos põem tanto à prova.
Onde é que fui buscar estas certezas? Se já as tinha, agora ficaram mais fortes. Vejam o video.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Brilha, brilha lá no céu

Hoje a Joana estava ainda mais mimosa do que o costume e quis que a adormecesse. Pediu-me para lhe cantar a música que sempre cantei desde que ela é pequenina. "Brilha, brilha lá no céu, a estrelinha que nasceu!. Enquanto cantava pensei na Leonor. Na nossa estrelinha que nasceu para poder ir brilhar para o céu. As entrelinhas têm destas coisas <3

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Decisões difíceis

Há dias na vida em que nos deparamos com decisões difíceis de tomar. O coração, a razão, o pragmatismo... tudo luta por um lugar na balança. Mas não é fácil. Por muito que queiramos juntar tudo na mesma panela e fazer a massa do bolo perfeito, são coisas que não combinam.
Vivo com o coração, mas a vida tem-me ensinado que muitas vezes tenho de o ouvir quando me diz: "desliga-me. sê pragmática e resolve. agora só te vou complicar".
Fico na dúvida. Paro. Escuto e olho. Como se de uma estrada a atravessar se trate. A travessia tem de ser feita com segurança, para que não sejamos atropelados. E a vida é mesmo assim. Temos de a olhar com calma e saber fazer as travessias (decisões) em alturas que não sintamos que estamos a atravessar a estrada a correr ou muito devagar. Fugir do risco de sermos atropelados.
Decisão tomada. O coração volta um pouco a si e diz que apesar de se sentir melindrado com a situação, sabe que foi o melhor que se fez. Que se atravessou a estrada. Que na vida é como numa caminhada: para se mudar de caminho é preciso atravessar a estrada. Sem medos. Sem hesitações. Só assim conseguimos seguir em frente. Mudar. Crescer. Construir. Escrever e re-escrever uma história.
Hoje foi o dia.

domingo, 13 de outubro de 2013

Nota para o dia a dia

Confesso que às vezes grito, mas os miúdos têm o dom de nos tirar do sério. Aliás, acredito piamente que o fazem de propósito para nos porem à prova. Para, à sua maneira, nos ajudarem a ser melhores mães e seres humanos.
Tudo o que aqui está escrito tento fazer o mais possível com a minha Joanocas. Desde sempre que quando sonhava ser mãe, sonhava fazer estas e outras tantas coisas. Talvez por sentir que o que não tive em criança, era o que devia dar.


A grande verdade é que temos de aproveitar os filhos ao máximo. É preciso ter consciência que eles saíram de dentro de nós, mas não nos pertencem. Fazem parte de nós, mas são livres. Nós seremos sempre o seu ninho. E é só isso que eles têm de sentir. Que viver é amar, é aproveitar, é lutar. É fazer com que cada dia valha a pena. Que cada dia tenha tido um significado. Que não percamos tempo a remoer no que não é bom. Que não nos agarremos ao que é mau. Peguemos nisso e façamos disso a nossa força para atingir o que tanto auguramos. Para aproveitarmos todos os que nos rodeiam e que amamos. Não é nada fácil, eu sei. Mas sei por experiência própria que a luta e o sofrimento valem a pena. Porque a vida nos compensa, desde que não baixemos os braços. Pode demorar. Nem sempre conseguimos... mas mesmo depois da maior dor que vivi e vivo com a perda da Leonor, não consigo deixar de acreditar que haverão dias melhores. Penso que o melhor dela ficou comigo, no meu coração. A saudade que sinto e as lágrimas que às vezes derramo tento transformá-las em amor. Amor pela Joana que cresce a olhos vistos e cada vez mais segue o seu caminho. Amor por mim. Amor pelo marido que é outro lutador. Amor por aqueles que me rodeiam. Porque o hoje tenho a certeza do que tenho. E amanhã pode já não ser assim...

domingo, 6 de outubro de 2013

Aquecedor do coração

Já tinha a caixa das primeiras coisas da Joana para recordar...


... e não podia deixar de ter o mesmo da Leonor. Feitas pela minha sogra, esta foi bem mais difícil de construir.Por entre lágrimas de saudades surgiu uma caixa linda com as coisas da minha segunda princesa. Para a recordarmos e homenagearmos. Obrigada Miducha.



Mais caixas em: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10150788020184620.420165.175587064619&type=3