sábado, 15 de junho de 2013

Até um dia... Mãe

Sem muitas palavras, mas com a certeza de que já não sofres, deixo-te a música que tinhas com o pai.
Sei-te muito bem acompanhada do lado de lá.
Os maus momentos deixaram de existir e as coisas boas ficam para sempre.
Obrigada por tudo o que me ensinaste, mesmo o que não foi da melhor maneira.
Acima de tudo o meu amor de filha é eterno.
Até um dia mãe

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Até um dia minha Fernandinha

Chegaste aos teus 98 anos com uma lucidez incrivel. Uma lucidez que tenho pena de ter não ter partilhado mais. Quis a vida que eu ficasse sem a capacidade de te ocultar tudo o que me aconteceu e por não te saber mentir não te vi.
Fechaste os olhos e partiste serenamente. Que bom! Merecias e muito. Por tudo o que passaste. Por tudo o que te fizeram. Pela pessoa linda que sempre foste.
Já tinha saudades tuas e vou continuar a tê-las. Partiste mas deixaste-me cheia de boas memórias e com o coração quentinho por te ter tido na minha vida. Não eras da nossa família de sangue, mas eras a minha avózinha. Nunca me hei-de esquecer de quando furei o dedo na tua máquina de costura, de quando me levavas à feira popular e ao frango assado no Bom Jardim no Rossio. Do quanto eu gostava de estar contigo no teu quarto a ver as tuas coisas. De quando fracassadamente (devido à minha falta de jeito) me tentaste ensinar a fazer croché. Não esqueço as roupas que me fizeste nem as que me arranjaste. Nunca me esquecerei de ti.
Sei que agora já sabes porque não te conseguia ir ver. Sei que me compreendes, como também sei que a esta altura já conheces a minha Leonor. A minha estrelinha. E tal como um dia sei que a encontrarei quando partir, tenho a certeza absoluta, que hoje depois de fechares os teus olhos de vez a este mundo, abriste-os e encontraste o teu filhote que (tal como eu) viste partir tão cedo.

Recordo os teus olhos azuis e o teu sorriso.
Obrigada por teres existido na minha vida.
Até um dia minha querida Fernandinha

terça-feira, 11 de junho de 2013

Ser princesa

Há quase um mês que não escrevo... São muitas as coisas sobre as quais quero escrever, mas ao mesmo tempo não consigo colocar facilmente por palavras tudo o que estou a viver: as saudades da Leonor, o outro avc e o estado da minha mãe, o meu coração que não melhora...
Foco-me no que tenho de melhor: a minha princesa Joana. Sem esquecer o meu querido marido (claro!)
A minha princesa está uma crescida e também ela gere ainda a falta da mana. Há cerca de duas semanas pediu-me uma fotografia da mana para a sua mesa de cabeceira. Disse-me que quer a fotografia para se lembrar dela. Ontem foi dia de escolher e imprimir. Aproveitei e também trouxe mais uma. Rever as fotografias traz nostalgia, mas também ajuda a aquecer-nos o coração com as memórias da princesa fofa e espertalhona que a Leonor foi.
Tudo o que tenho vivido tem-me ensinado a olhar para a vida com outros olhos. As minhas filhas, as minhas princesas (como a Joana, diz) têm-me ensinado muito desde que entraram na minha vida. Ao ver este video com a Joana, fiquei com o coração ainda mais quente. Ser princesa é muito mais do que usar um vestido lindo. Fico feliz que a minha Joana, já nos seus 4 anos e meio, veja a vida com estes olhos. No que depender da mãe princesa continuará assim e sempre com a coragem toda para enfrentar quem se lhe atravesse no caminho a querer desvalorizar o que verdadeiramente importa.
Obrigada princesas da minha vida pelo tanto que me ensinam.